25 de novembro de 2017

Top 5 - Bandas sonoras de videojogos (que merecem ser ouvidas)


Quando falamos em videojogos, há sempre duas coisas que por norma vêm logo à baila: gráficos e jogabilidade. A primeira é a mais comum, sobretudo para os menos entendidos que facilmente são seduzidos por um jogo se este tiver "altes gráfiques" mesmo que seja a maior borrada em tudo o resto. A segunda, mais apreciada pelos conhecedores da coisa, que dão primazia a algo que seja divertido e jogável, em vez de frivolidades cosméticas. Seja como for, uma coisa é certa, o outro elemento que compõe este conjunto não só é tão importante como também consolida o jogo em si, dando-lhe um certo carisma e muitas vezes distinguindo-o de todos os restantes. É óbvio que me refiro à música, algo que faz parte de todos nós e sem a qual seríamos bem mais infelizes. Nos videojogos, a música sempre teve um papel importante sobretudo a partir do momento em que ganhou terreno e deixou de ser apenas *bips* e *bops* para dar lugar a arranjos melódicos que ainda hoje nos trazem memórias. O tema do primeiro nível do Super Mario Bros. é um claro exemplo disso e ainda hoje é reconhecido por praticamente toda a gente que teve contacto com videojogos mesmo que não sejam fãs da coisa. Bom, mas como é de calcular, esta lista não vai dar destaque a jogos com bandas sonoras bem conhecidas portanto não esperem ver Castlevania nem Final Fantasy pois a ideia é outra. E actualmente os jogos estão cada vez mais genéricos em todos os níveis, que nem as bandas sonoras me ficam na memória. Mas após alguma ponderação, lá me lembrei de alguns, mais ou menos recentes, que merecem destaque.

24 de novembro de 2017

Rygar - The Legendary Adventure

Que grande ioiô!
Desenvolvido por: Tecmo, Team Tachyon
Publicado por: Tecmo
Director: Takao Ando
Produtor: Satoshi "Wake Up" Kanematsu
Compositor(es): Hiroaki Takahashi, Takayasu Sodeoka, Riichiro Kuwabara
Plataforma: PlayStation 2
Lançamento: 25-11-2002 (JP), 05-12-2002 (EUA), 30-05-2003 (EU)
Género: Acção, Aventura, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (150KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração
Outros nomes: Argus no Senshi (アルゴスの戦士) (JP)
Estado: Completo
Condição: Boa, com algumas marcas de uso
Viciómetro: Acabei-o uma vez mas lá voltarei um dia.

(Este tempo anda todo marado...)

Olha a Britney ali no canto!
Actualmente é muito comum ouvirmos falar em remakes, remasters e reboots mas voltando atrás no tempo, algures em 2002, nada disto era habitual. O certo é que iam sendo feitos, mais os remakes e reboots, sem que nos apercebêssemos disso em alguns casos. Mas coloca-se sempre a questão: se o original era bom porque razão alterar uma fórmula que funciona? A resposta é unânime: mostrar o potencial do hardware actual e acompanhar os tempos. Afinal de contas, em 2002 ninguém queria jogar jogos 2D cheios de flickering e que mais valia estarem num sótão dentro de uma caixa empoeirada a criar teias de aranha. Pensavam eles. Bom, mas o que importa é o jogo que trago até aqui hoje, baseado no original da NES, que até é um bom título. Este exemplar foi adquirido algures em Fevereiro de 2016, por €4.95 na Play N' Play estando em muito bom estado.

12 de novembro de 2017

Transformers Devastation

Artwork nostálgica.
Desenvolvido por: Platinum Games
Publicado por: Activision
Director: Kenji Saito
Produtor(es): Atsushi Kurooka, Akiko Kuroda, Robert Conkey
Designer(s): Hiroshi Shibata, Yuto Abe, Mari Fujita
Argumentista: Andy Schmidt
Compositor(es): Satoshi Igarashi, Tetsuya Shibata, Jun Okubo, Vince DiCola, Kenny Meriedeth
Plataforma(s): PlayStation 3, PlayStation 4, Xbox360, XboxOne, PC
Lançamento: 06-10-2015 (EUA), 09-10-2015 (EU)
Género8s): Acção, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: Blu-Ray Dual Layer (50GB)
Funcionalidades: Instalação de 1736MB no disco rígido, Compatível com função de vibração, HD 720p, DLC adicional
Estado: Completo
Condição: Impecável 
Viciómetro: Acabei-o várias vezes nas várias dificuldades.

(Devido à escassez de screenshots da versão PS3, optei por usar os da PS4.)

Yep, crush everything!
Se tal como eu cresceram durante os anos 80/90, certamente viram muitos desenhos animados na televisão ou mesmo em VHS. E entre tantos, dos quais recordo os Thundercats, He-Man, TMNT, G.I.Joe e Defenders of the Earth, uma das séries que mais gostava dava pelo nome de Transformers. Veículos normalíssimos que se transformam em robots oriundos de outro planeta? Contem comigo! O certo é que ainda hoje eles andam por aí, embora estas novas séries e filmes live action estejam longe da qualidade e divertimento da série original. Sinais do tempo, direi mesmo. E que meio melhor para veicular todo este entretenimento? Videojogos, pois está claro. E são muitos os jogos de Transformers que existem hoje em dia mas o que trago até aqui hoje é especial. Este meu exemplar foi adquirido algures entre Novembro e Dezembro de 2015, por menos de 20 euros se bem me lembro, oriundo de uma loja online.

2 de novembro de 2017

Genji

Capa foiled!
Desenvolvido por: Game Republic
Publicado por: Sony Computer Entertainment
Director: Takashi Shono
Produtor: Yoshiki Okamoto
Artista: Keita Amemiya
Argumentista: Toshiya Shibano
Compositor: Yasuharu Takanashi
Plataforma: PlayStation 2
Lançamento: 30-06-2005 (JP), 20-09-2005 (EUA), 21-10-2005 (EU)
Género: Acção, Aventura, Hack 'n Slash
Modos de jogo: Modo história para um jogador
Media: DVD-ROM (4.7GB)
Funcionalidades: Gravação de progresso no Memory Card (265KB mínimo), Compatível com controlo analógico: apenas joysticks, Compatível com Função de Vibração
Outros nomes: Genji - Dawn of the Samurai (EUA)
Estado: Completo
Condição: Boa, com algumas marcas de uso
Viciómetro: Acabei-o umas três vezes.
 
(Chuva... detesto.)
 
E mais foiled atrás.
Samurais e ninjas, como já devem saber se costumam ler as coisas que por aqui publico, são duas das coisas que mais gosto oriundas do país do sol nascente. E de vez em quando lá parece um ou outro jogo que aborda o tema e tenho de averiguar a coisa. Embora nem todos sejam decentes, algo normal quando se tenta experimentar de tudo um pouco, o certo é que alguns estão certamente acima da média em termos de produção. O jogo que trago até aqui hoje ilustra bem isto, apesar de na altura em que foi lançado não ter tido uma recepção altamente calorosa. Este meu exemplar foi adquirido a 21 de Janeiro de 2016, na Play N' Play, usado mas em boas condições por €4.95. Compensa guardar os talões de compra para quando é preciso informação futuramente.